A Comunicação Não-Verbal no Mundo Corporativo

Será que já paramos para perceber o quanto nossos gestos falam e às vezes até gritam aos olhos dos outros? Será que já observamos quantas oportunidades perdemos e quantos negócios deixamos de concretizar por simples expressões faciais e corporais transmitidas ao acaso e sem consciência?

Acredito que poucos param para analisar o quanto a linguagem não-verbal influencia e muitas vezes decide um jogo ou uma partida.

No mundo corporativo, a conseqüência é muito mais evidente e por vezes traz prejuízos de ordem profissional, pessoal e principalmente financeira. Portanto, devemos ficar atentos quanto à linguagem não-verbal, pois de nada adianta falarmos de forma eloqüente, objetiva e fabulosa e nosso olhar, postura e gestos não estiverem coerente com as palavras, ou até mesmo denotarem arrogância, prepotência, insegurança e aspereza.

Quando este casamento não acontece, a comunicação fica falsa, sugerindo falta de confiança e credibilidade e provocando no ouvinte a sensação de antipatia e aversão. É importante estarmos em completa harmonia para que a verdade, a confiança e a credibilidade fluam e a comunicação seja assertiva contribuindo de maneira eficaz para o alcance dos objetivos e metas propostos, sejam num processo de negociação com colaboradores, fornecedores, seja para comunicar algo à sua equipe ou simplesmente para manter um relacionamento interpessoal transparente e agradável no ambiente corporativo.

Como demonstra o grande professor Charles Chaplin em Tempos Modernos, os gestos nos levam a várias situações, no entanto, se soubermos utilizá-los a nosso favor alcançaremos resultados positivos no mundo dos negócios.

Rose Aparecida de França
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.