Virando o Jogo

Virando o Jogo

  • Slideimage1

O filme retrata uma organização (time de futebol americano) bem sucedida em que os atletas profissionais resolvem fazer greve reivindicando melhores salários. No entanto, o Presidente do time não está disposto a ceder, em especial por que percebe que os seus atletas abandonaram valores importantes da empresa e resolve radicalizar e contrata um novo coach (Gene Hackman – treinador McGinty) para o time, dando-lhe carta branca para montar o time que quiser e como quiser, desde que ganhe 3 das 4 partidas finais (Meta).

Um extraordinário filme para compreendermos o que os talentos são capazes de produzir, isso se colocados na posição certa e estimulados por aquilo que têm de melhor.

Pode também ser visto sobre o prisma do resgate de valores, em especial quando os valores de um determinado grupo passam a ser tão somente o valor econômico/financeiro.

Serve também para observarmos as estratégias utilizadas no que diz respeito à gestão de pessoas.

Além do mais, traz exemplos fantásticos sobre diversidade, desenvolvimento de potencialidades, como e o que fazer para resgatar o melhor de cada um (“retirar de pessoas comuns o incomum”). Isso por si só já seria desafiador. No entanto, a grande maioria dos convocados é vista como "repleta de fracassados".

Um exemplo que nos instiga a pensar e repensar as convicções que temos a respeito de nós mesmos e também em relação aos outros, visto em especial com o despertar da liderança do Shane Falco (Keanu Reeves).

Uma referência de como desenvolver equipes e potencializar a diversidade.

Traz de carona uma boa dose de estratégia e humor.

Divirtam-se!
Beijo no coração,
Abraços.

Por Adilson Souza (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)